Arquivo da categoria ‘História’

Histórico da orquestra CCB Recife – PE

Publicado: 15 de novembro de 2013 por demervalgermano em História
Tags:

 

DECLARAÇÃO

 

                     Eu, Demerval Germano de Oliveira, oficial Regente de Música, na Reserva do Exército Brasileiro, nascido a 15 de outubro de 1952 em Paulista – PE, filho de: Manoel Germano de Oliveira e de Rosa Santana de Oliveira, batizado na Congregação Cristã no Brasil em Recife – PE, no dia 12 de julho de 1964, pelo saudoso irmão Rizzieri Fortunato Lavander, Músico (trompetista oficializado no dia 15 de fevereiro de 1970 pelo irmão Encarregado Regional de S. Paulo, AMADEU DA RESSURREIÇÃO BARBOSA e pelo irmão ancião Rizzieri Fortunato), venho através desta, declarar que quando comecei a estudar a música no dia 14 de junho de 1964, com o irmão Firmino Floriano dos Santos (Coop. Da Congregação de Sto. Amaro), sito à Rua Calçados, 50 – Sto. Amaro – Recife – PE, que em seguida me levou para continuar meus estudos de Música, com a jovem Ida Vilela Ferreira, na rua S. Mateus, 577 – Iputinga – Recife – PE, encontrei tocando na Congregação apenas três músicos,  a saber: Ida Vilela ferreira (Harmônio), Edézio Norberto da Silva (Trombone) e o Jovem Marcos Antônio Gomes (Acordeon scalla, 120 baixos, de cor verde – filho do irmão Antônio Gomes da Silva, Cooperador da central de Iputinga que reside até a presente data no Zumbi – Recife – PE).

“Estes músicos tocavam em toda grande Recife, indo até Goiana – PE e etc.”

                     Existiam vários irmãos e irmãs estudando a Música, entre eles o irmão Avanil Ferreira de Oliveira (meu sogro – in memorian), Antônio Gomes da Silva (Cooperador), José Ecre Guerra Belém (Diác.), Elias Francisco (de Palmares – PE – desistiu) e irmãs que consigo lembrar: Marizene, Severina Ponciano (nome depois de casada), Nanci Rodrigues de Arruda e Anilde Ferreira de Oliveira( de 9 anos de idade)… acho que tinha mais alguém…

                     O quarto músico a entrar na orquestra foi o irmão José Ecre Guerra Belém, tocando escaleta e depois mudou para bombardino.

                     O Quinto músico a entrar na orquestra fui eu, Demerval Germano de Oliveira, tocando trompete, cujo professor inicialmente foi o Jovem Francisco Bonifácio Dias, que veio de Garanhuns – PE, para sentar praça no Exército, tendo depois, eu, passado a estudar com o irmão Levi de Souza Lima, primeiro cooperador da central de Iputinga – Recife – PE, sito a rua S. Mateus, 577, o qual me preparou colocou na orquestra, tocando no culto oficial a partir do dia 09 de outubro de 1965 (Domingo).

ABRINDO UM PARÊNTESIS: “Lembro muito bem que estava eu na aula de música na iputinga no endereço já citado, quando chegaram uns irmãos de S. Paulo, em um jeep que  atolou-se na lama em frente à Congregação da rua S. Mateus, para avisar que Deus havia recolhido o saudoso irmão Louis Francescon, fundador da Congregação Cristã no Brasil. Isso foi em setembro de 1964. Naquele dia havia culto na R. Manoel Alves Deusdará, 500, na casa do saudoso irmão José Queiroz de Araújo (que foi posteriormente 1º ancião do Recife). – Depois de ajudar a empurrar o jeep, tendo sujado bastante minha bermuda branca porque o pneu jogou lama, fui junto conduzindo os irmãos até o endereço no Engenho do Meio para anunciar a irmandade.”

                   O sexto músico ficou entre o irmão “Dandinha”(irmão do irmão Edézio Noberto) que tocava clarinete e o irmão Avanil ferreira de Oliveira (Acordeon “Galanti, 120 baixos, em quarta de voz, de cor preta – altamente possante; era uma perfeita orquestra)

                     Depois entrou na orquestra o Jovem Albérico Norberto da Silva (Trompete – que ainda tocou trombone porque não tinha instrumento; era  menino de mais ou menos 11 anos, quando começou a tocar, precisando apoiar a bomba do trombone no banco da frente para poder tocar).

Em seguida entrou na orquestra o irmão Severino Ramo de Oliveira (Trombone – meu irmão),

Irmão Edinaldo Norberto da silva (Saxofone Alto em Mi bemol). Vieram de Garanhuns – PE, mais ou menos em 1967, os jovens Iru Vilela Ferreira (hoje ancião no bairro dos Torrões – Recife) que aprendeu a tocar trombone, Iso Vilela Ferreira, que tocou incialmente trombone, passando depois a tocar acordeon (de cor vermelha) e Ita Vilela Ferreira que também aprendeu aqui no Recife e tornou-se organista.

Em 02 de janeiro de 1967, chegou em Moreno – PE o irmão Manoel Felix de Albuquerque (Ancião de Moreno) vindo de S. Paulo, Jardim Helena Maria – Osasco, com a esposa, seis filhos, sendo quatro deles músicos a saber: Valdeci Albuquerque (Trompete), Valdemir Albuquerque (trompete), Valdir Albuquerque (Violoino) e José Albuquerque (Clarinete).Todos foram oficializados, em Jul de 1966, pelo irmão João Finotti, antes de viajarem para o Recife.

         Em 1968, aprendeu a tocar trompete com o irmão Iso Vilela Ferreira, o irmão Aloísio Henrique Dantas, Natural de Garanhuns-PE. Um Jovem Alto de mais ou menos 1,85m, filho do irmão Pascoal Henrique Dantas que foi cooperador na cidade de Iratama, a 20 KM de Garanhuns.

         Com a chegada do Saudoso irmão Amadeu da Ressureição Barbosa, Encarregado Regional do Brás – S. Paulo, sendo o mesmo de Nacionalidade portuguesa e naturalizado no Brasil, no ano de 1969, que veio para organizar e melhorar nossa orquestra no Recife, tendo passado mais de ano nesse trabalho, entrou também para nossa orquestra mais ou menos no ano de 1969, o saudoso irmão José Queiroz de Araújo, tocando clarinete, os irmãos Joel Augusto de Jesus Serra (tocando Bombardão e Salomão Augusto de Jesus Serra (Tocando acordeon – esses dois eram filhos do Portugues Abílio Augusto de Jesus Serra *Não tenho certeza se o nome deles levavam a palavra “Jesus”).

Nesse mesmo ano de 1969, veio com os pais para morar em Olinda – Bonsucesso, o Jovem Ezequias de Oliveira Bueno, tocava violino e depois passou a tocar trompete; A mãe dele por nome Nilza, tocava piano nos cultos da rua do amparo – Olinda.

         Tínhamos aula todos sábados à tarde, na sala de oração, improvisada atrás da Congregação de Iputinga, na antiga rua Mons. Fabrício, 143, hoje rua Maurício de Nassau, pois a igreja ainda estava em construção. Esse irmão Amadeu, tocava vários instrumentos, era reformado da força pública de São Paulo, como 1º Tenente músico. As aulas começavam as 14:00h, tendo um intervalo por volta das 16:00h e indo depois até as 18:00h, culminando com um ensaio maravilhoso que Deus dava desse servo fazer para nós. – Durante os ensaios, de vez em quando ele pegava o instrumento de um e de outro para demonstrar como que tinha de ser o som etc.

         Tocou conosco nesse início também, o irmão Camilo, que foi cooperador dos torrões, hoje reside em Mossoró – RN (Não sei precisar a data que esse irmão começou a tocar), tendo ainda ingressado mais ou menos em 1969/70.

ESTE RELATÓRIO TERÁ PROSSEGUIMENTO AINDA, DEPOIS DE CONFIRMAR DADOS QUE FALTAM SEREM ACRESCENTADOS; PORTANTO DEIXO CLARO QUE TUDO QUE FOI NARRADO É O QUE LEMBRO DA MINHA MEMÓRIA E SE HOUVER INFORMAÇÃO MAIS PRECISA, CORREGIREMOS ESTE DOCUMENTO.

TODA INFORMAÇÃO SERÁ BEM VINDA

                                                         Recife – PE, 03 Nov 2013.

Pdf para Download. >>>Breve histórico da orquestra <<<